Ansiedade nas Mulheres

Hoje eu vou falar com você sobre algo que afeta uma parte enorme da população feminina.

A verdade é que as mulheres tendem a fazer mil coisas e assumir tantas responsabilidades que fica muito difícil fugir dela: a famosa ansiedade. Ainda mais para as brasileiras, já que segundo pesquisa da Organização Mundial de Saúde (OMS) no ano de 2019, o povo brasileiro é O POVO MAIS ANSIOSO DO MUNDO, o título vem do fato de o país ter a maior taxa de pessoas com transtorno de ansiedade no mundo todo. O relatório ressalta ainda que o Brasil estaria em meio à uma epidemia de ansiedade.

Homens e mulheres sofrem de ansiedade, porém, estudos da Universidade de Cambridge revelam que as mulheres tendem a ser mais ansiosas e que o número de mulheres com distúrbio de ansiedade é pelo menos duas vezes maior que o de homens, fato confirmado também pela Associação Americana de Ansiedade e Depressão, que aponta ainda os fatores sociais como agravantes nos casos de Distúrbio Ansiedade, isso fez um completo sentido para mim. Fica comigo que você vai entender…

Para você ter uma ideia, o transtorno de ansiedade ainda é tratado como um tabu em muitos lugares. As pessoas lutam contra a ideia de tomar um medicamento por causa de preconceitos, lutam contra a ideia de procurar terapia porque é “coisa de gente louca”, e quando procuram, normalmente não contam para as pessoas por vergonha, tudo isso atrasa seu processo de melhora.

Seja qual for o tema, se você for pelo chamado “senso comum”, acaba perdido em meio às informações e histórias de “conhecidos de um conhecido”, formando uma opinião sem base alguma, o que é muito prejudicial, em especial quando se trata de distúrbios e transtornos mentais que precisariam ser tratados o quanto antes para que não se agravem.

Por isso, hoje você poderá entender exatamente do que se trata o Distúrbio de Ansiedade para compartilhar informações claras e concretas e até mesmo ajudar outras pessoas.

É algo bem interessante, sabe por quê?

A ansiedade é aquele sentimento, ou sensação, que acontece por causa da excitação excessiva do Sistema Nervoso Central, ou seja, é como se seu cérebro identificasse uma situação de perigo aparente, algo bem próximo do medo, provocando diversos sintomas físicos como taquicardia, tremores, tensão muscular, suor e dor de cabeça. Se a nossa percepção nos alerta para uma situação de perigo, então acontece o “estado ansioso”.

Quando as crises são recorrentes e intensas elas são chamadas de Crise Ansiosa Aguda, que também é conhecida como Síndrome do Pânico. Essa Excitação Excessiva do Sistema Nervoso Central acontece por causa de uma descarga de um neurotransmissor (agentes químicos que medem a transmissão do impulso nervoso como as conhecidas adrenalina, a dopamina e a serotonina), no caso, o neurotransmissor responsável por esta descarga seria o chamado Noradrenalina.

O funcionamento comum do Sistema Nervoso Central faz com que sua excitação seja uma forma de estimular para a luta ou para a fuga. Em tempos remotos, isso funcionava por exemplo em situações de caça e de sobrevivência do ser humano.

Porém na atualidade, isso transcende (e muito) o perigo de vida biológico. Não é mais apenas uma questão de sobrevivência física, hoje em dia há também toda uma questão de “sobrevivência social” e, sendo assim, o estado ansioso pode ser disparado por fatores diferenciados, os perigos seriam algo como a possibilidade de perdas: de status, de conforto, de poder econômico, de afeto, de amizades, de privilégios, de vantagens e de oportunidade de realizar algo na vida. Você se identifica com algum desses perigos?

E é exatamente sobre isso que vou falar com você agora. Sobre como funciona a ansiedade e como lidar com os monstros do nosso tempo que tem gerado essa ansiedade generalizada, chamada até de epidemia pela Organização Mundial de Saúde.

Vou te falar um pouco mais sobre a ansiedade e dar algumas dicas sobre como lidar com a ansiedade e a última é a melhor de todas elas.

A ANSIEDADE FUNCIONA ASSIM:

Quando enfrentamos alguma dessas chamadas “situações de perigo”, nosso sistema de defesa funciona disparando no cérebro a Amídala Cerebral (grupo de neurônios que juntos formam uma massa cinzenta e esférica com mais ou menos três centímetros de diâmetro) e essa Amídala Cerebral nos coloca prontos para lutar ou fugir; os perigos já não são o da caça nos atacar, mas o funcionamento do nosso organismo ainda é o mesmo e nos coloca nesse estado de luta ou fuga.

Infelizmente, quando a pessoa se encontra em estado de desequilíbrio emocional, uma situação desconhecida ou inesperada pode ser o suficiente para disparar estados ansiosos, é como se sua cabeça começasse a funcionar bem depressa tentando encontrar uma forma de se livrar do perigo do jeito que for mais rápido, é semelhante mesmo ao exemplo do enfrentamento de um animal selvagem, porém os monstros normalmente são outros. Seria mais ou menos como na frase a seguir: “Tudo o que vem de mim é seguro e tudo que vem de fora e não está sob controle é perigoso”.

O problema é que a mente é incapaz de experimentar uma sensação de repouso e conforto se o problema não tiver uma solução mental imediata, essa aceleração, esse movimento da mente, em grande parte das vezes também causa uma confusão mental e por não encontrar uma ação eficiente, a sensação de perigo é aumentada o que gera maior necessidade de encontrar uma forma de se livrar do perigo e assim começa um círculo vicioso que só faz aumentar o estado ansioso.

 

MINHA ANÁLISE:

A mulher tem feito cada vez mais coisas, assumido inúmeros compromissos e papéis diferentes, ela se cobra, quer atender a tudo e a todos, chegar a um padrão de beleza que é inatingível, fazer seu melhor no trabalho, mostrar que é capaz, útil e suficiente e como se não bastasse essa cobrança interior a sociedade em geral cobra também, as mulheres são submetidas constantemente à pressões do sistema, quer alguns exemplos?

 

Quando você é criança: O que quer ser quando crescer? Quando termina o ensino médio: Que faculdade vai fazer? Terminando a Faculdade: E aí, já escolheu a pós? Se você está sozinha: precisa namorar! Se está namorando: quando vão se casar? Se está casada: quando vai ter filhos? Se trabalha fora: quando vai ter um tempo? Se não trabalha fora ou tem um negócio doméstico: “vi uma vaga pra você”. Quem nunca ouviu nenhuma dessas perguntas? Somos treinados para o sucesso, mas nunca para o erro, não somos preparados emocionalmente para lidar com frustrações e conflitos, e muitas vezes nem aprendemos a ouvir ou a dizer “não”.

 

O Psiquiatra Augusto Cury, que tem diversos livros abordando o tema da ansiedade, comenta que as crianças deveriam aprender essas coisas na escola, deveriam aprender sobre inteligência emocional, se preparar para os fracassos, para os “nãos” da vida.

Isso faz muito sentido, não é mesmo? Até mesmo porque é essa falta de “tato” com as situações é o que nos coloca naquele “modo luta ou fuga”, gerando o estado ansioso, tão prejudicial, arrebatando o controle de nossas emoções. E como também disse Augusto Cury:

“A pior prisão do mundo não é a que restringe os movimentos do corpo, mas a que confina os pensamentos e controla a emoção e, consequentemente, engessa a capacidade de pensar e impede a poesia da vida.”

 

SINTOMAS:

Alguns sintomas clássicos da ansiedade incluem: irritabilidade, constante tensão ou nervosismo, problemas de concentração, dificuldade em controlar os pensamentos e/ou de esquecer o objeto de preocupação, além de tremores nas mãos ou em outras partes do corpo. Que tal fazer uma autoanálise agora? Responda com sinceridade:

  • Você se sente nervosa constantemente?
  • Tem dificuldade para dormir?
  • Tem pressentimentos negativos?
  • Se preocupa muito com tudo e com todos?
  • Costuma ter dor de cabeça muitas vezes na semana?

Esses são apenas alguns dos sintomas que podem significar que você está sofrendo de ansiedade, você pode fazer um teste on-line que também vai te ajudar a se compreender melhor e entender que tipo de ajuda procurar.

Lembre-se sempre que um teste on-line não pode ser entendido como um diagnóstico, mas pode ser um caminho para buscar a ajuda adequada. E por falar em ajuda adequada…

Agora, o pulo do gato…

A última parte das 3 coisas que tenho para te falar sobre Ansiedade, as dicas para combater esse terrível transtorno que tem afetado milhares de pessoas em todo o mundo (e 8,6 milhões de brasileiros segundo a OMS)  especialmente as mulheres, você vai entender como algumas medidas podem fazer toda a diferença no combate à ansiedade.

A ansiedade é prejudicial tanto emocional como fisicamente, causa muito sofrimento, então precisamos antes de qualquer coisa lembrar de que não é “apenas frescura” ou como diziam alguns antigos “falta de uma boa surra”, digo isso porque infelizmente ainda hoje em dia, com tanta informação, algumas pessoas tem uma atitude muito semelhante à desses antigos, querem tratar a ansiedade “no susto”, um tipo de “tratamento de choque” ou um bom chacoalhão. Como especialista em saúde emocional posso dizer com toda convicção: não vai funcionar! E por falar nisso, algumas outras coisas que não funcionam para ajudar uma pessoa com ansiedade são: críticas, julgamentos e irritação. Se não souber o que dizer, prefira apenas “estou com você”.

Então agora vamos falar de como podemos aliviar a ansiedade:

DICA 1: DORMIR

Parece bobo, não é mesmo? Mas é comprovadamente no sono que nosso organismo se recupera e se cura. Precisamos de horas o suficiente de sono para realmente nos sentirmos renovados. E caso você esteja pensando “não tenho tempo para dormir”, para tudo! Dormir o suficiente e dormir bem, são um investimento na sua saúde e produtividade.

DICA 2: EVITAR O EXCESSO DE ÁLCOOL OU CAFEÍNA

Eles são estimulantes, vão acelerar ainda mais seus pensamentos, o que pode até mesmo gerar uma crise de pânico

DICA 3: ATIVIDADES PRAZEROSAS E RELAXANTES

Eu poderia falar um milhão de atividades que você pode fazer, mas enquanto para alguns a ioga por exemplo pode ser terapêutica, para outros, é uma sessão de tortura, então a dica é: Faça algo que é prazeroso para você! Uma massagem relaxante, meditação, ouvir música, dançar, observar pássaros, jogos de tabuleiro, pintura em tela, ler um romance… o que é prazeroso e relaxante para você?

DICA 4: COMER CORRETAMENTE

Algumas pessoas costumam literalmente engolir a ansiedade, outras acabam não comendo nada. Cuidado com os exageros para ambos os lados, o ideal é escolher alimentos leves, investir em frutas e sucos e não pular nenhuma refeição.

DICA 5: EXERCÍCIO FÍSICO

Em algum lugar você precisa “descarregar” e não vale, de forma alguma, que seja nas pessoas ou no seu bichinho de estimação, então, que tal escolher um exercício físico?

Não quer dizer obrigatoriamente ir para uma academia, uma simples caminhada, por exemplo, estimula o sistema nervoso, o que inibe a raiva e a hostilidade por conta da circulação do sangue no cérebro o que também ajuda a diminuir a ansiedade. Isso for comprovado cientificamente através de um estudo publicado na US National Library of Medicine.

Outra atividade que tem se provado muito eficaz no combate aos diversos transtornos emocionais é a dança. Quando uma pessoa dança, acontece a liberação de endorfina, dopamina e serotonina e então ocorre no seu corpo um relaxamento, proporcionando uma sensação de leveza e liberdade.

Logicamente, aqui vale a mesma regra da atividade relaxante, encontre a atividade física que tem mais a ver com você, atividades de impacto por exemplo, ajudam a trabalhar sua agressividade. Artes marciais ensinam autocontrole. E assim, cada atividade tem suas vantagens, mas o importante é que você tenha uma prática diária de exercícios físicos.

DICA 6: ENCONTRE O “GATILHO”

Qual é a razão principal da sua preocupação? É o seu trabalho? Família? Alguma pessoa específica? Um lugar? Encontre o padrão… caso não seja algo claro para você, tenha um diário onde você vai escrever em seus momentos de ansiedade e depois de alguns dias, relendo, você poderá descobrir qual o gatilho que desencadeia suas crises, esse é um passo muito importante pois normalmente o foco está nos sintomas, seria mais ou menos como tratar uma febre sem tratar a infecção, a febre vai voltar, por isso procuramos a causa, e trabalhando nessa causa, os sintomas serão eliminados.

DICA 7: CONFIE

Confie nas pessoas à sua volta, família e amigos serão sua rede de apoio, converse com as pessoas que te amam sobre as dificuldades que está passando, sobre o que tem te deixado com medo ou nervosa, compartilhe quando estiver se sentindo sobrecarregado e peça ajuda se de alguma forma podem te ajudar. Aprenda a pedir ajuda! Isso é muito importante!

Além disso, confie na ajuda profissional para mudar seus padrões de comportamento nocivos que tem contribuído para a ansiedade, existem muitas abordagens terapêuticas que podem te ajudar, confie!

DICA 8: ENCONTRE SUA FORÇA

Onde está sua força? Você já descobriu? Conecte-se com ela, com toda essa sua força feminina, toda essa graça única de ser mulher, encontre-se, conheça-se melhor, permita-se ser quem você é e então ame-se.

Se quiser entender melhor essa força, você pode ver aqui mesmo no nosso canal um vídeo especial a esse respeito, tenho certeza que vai abrir seus olhos!

 

DICA 9: ENVOLVA-SE EM ALGUMA CAUSA

O senso de propósito nos ajuda a tirar o foco de nossas dores e preocupações, se envolver em um trabalho voluntário, em um projeto social, em uma causa na qual você acredite ainda tem outros benefícios como a liberação de endorfinas, os neurotransmissores que provocam a sensação de prazer, ou seja, ajudam a diminuir o stress.

Pesquisas realizadas nos Estados Unidos nas Universidades de Michigan e Stony Brook também apontaram que os envolvidos em trabalhos voluntários apresentam uma carga de stress muito menor, manifestam maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal e ainda vivem mais (aproximadamente 4 anos a mais)!

E claro, além de tudo, saber que você está ajudando também é compensador por si só!

 

DICA 10: SEJA GRATA

É isso mesmo “hashtag gratidão”. A ingratidão nos mantém presos nas situações ruins enquanto a gratidão nos impulsiona a sair delas. Faça seu caderno de gratidão ou seu “pote da gratidão” e crie o hábito de sempre colocar ali um motivo para agradecer, um por dia pelo menos. Nos momentos em que se sentir ansiosa, olhe para eles, leia cada um e foque nas coisas boas que tem acontecido na sua vida. Como disse sabiamente William Shakespeare: A gratidão é o único tesouro dos humildes.

 

E, então, gostou dessas dicas? Espero que esse vídeo te ajude muito a se conhecer melhor e a se cuidar. Você é importante e é mais forte do que imagina. Os momentos difíceis vão passar e o que vai restar é o que você aprendeu com eles, por isso minha última dica especial é: Nos momentos difíceis, de ansiedade, medo e preocupação, pergunte a si mesma “o que eu posso aprender com isso”. E então, tendo respondido, siga em frente, empoderada, fortalecida e mais mulher do que nunca!

 

 

 

 

REFERÊNCIAS:

D´Angelo, Helo. Ansiedade é duas vezes mais comum nas mulheres, diz estudo. Disponível em: https://super.abril.com.br/saude/ansiedade-e-duas-vezes-mais-comum-nas-mulheres-diz-estudo/

Brasil é o país com maior número de pessoas com ansiedade. Disponível em: https://catracalivre.com.br/saude-bem-estar/brasil-e-o-pais-com-maior-numero-de-pessoas-com-ansiedade/

CURY, Augusto. A pior prisão do mundo: é a que aprisiona a nossa emoção e nos impede de sermos livres e felizes… superando o cárcere da emoção. São Paulo, SP: Academia de Inteligência, 2000. 219 p.

Descubra o seu nível de ansiedade e depressão: responda o questionário agora!. Disponível em : https://blog.psicologiaviva.com.br/questionario-de-ansiedade-e-depressao-2/

Anxiety And Depression Association of America. Tips to Manage Anxiety and Stress. Disponível em: https://adaa.org/tips

5 dicas para um sono perfeito. https://www.selecoes.com.br/superdicas/insonia-ansiedade-5-dicas-para-um-sono-perfeito/

University of Michigan and Stony Brook University Medical Center. Motives for Volunteering Are Associated With Mortality Risk in Older Adults https://www.apa.org/pubs/journals/releases/hea-31-1-87.pdf?utm_source=blog&utm_campaign=rc_blogpost

 

Compartilhe

Tais Caldas

Sou Tais Caldas, idealizadora e facilitadora do Programa Círculo Feminino. Desenvolver grupos de mulheres interessadas em autoconhecimento, resgate de autoestima e redescoberta do prazer na vida. Possuo Capacitação em Saúde e Educação Sexual pela ABRASEX – Associação Brasileira dos Profissionais de Saúde, Educação e Terapia Sexual. Além disso, crio arte em aquarela e sou uma amante da aromaterapia, sendo esses meus hobbys. Formada em Relações Internacionais pela PUC-SP e pós-graduada pela Unesp. Atualmente estou em minha segunda graduação, em Psicologia.

Deixe uma resposta