Consultoria de imagem e estilo: como fazer a escolha de sua roupa para passar a mensagem certa?

Confira as dicas valiosas sobre roupas e cores da consultora de estilo Luana Straccialini

Por GiGi Wolf

Será que existe beleza real? E qual seria a irreal? Muitas de nós se observa e pensa em como estamos “fora do padrão”, “gordinhas”, “magrelas” ou simplesmente não atendendo aos padrões impostos pela indústria da moda e da beleza. E muitas vezes nos esquecemos de perguntar: estamos nos sentindo bem com as nossas escolhas e construções?

Mudar o corte e a cor do cabelo, usar uma roupa estampada, um decote, ou uma saia. Por qual razão, hoje em dia, as pessoas nos dizem: “está fora de moda!”. Ou melhor: “você está horrível”. Não deveríamos construir nossa imagem com base em nossa essência? O espelho vem sendo um dos maiores desafios das mulheres nos dias de hoje.

O Círculo Feminino Tais Caldas buscou a Personal Style Luana Straccialini para tirar as maiores dúvidas que surgem e ressaltar que o vestuário é um elemento muito importante nas nossas vidas, mas o essencial é a mulher que a veste.

Luana Straccialini, consultora de imagem, realizou diversos cursos na área de moda em instituições como IED Madrid e Senac. Suas formações são em Técnico em coordenação de moda e estilismo, consultoria de imagem, análise de cores e visagismo com Philip Hallawell.

A consultora conhece a importância de estar sempre aprendendo e renovando o seu trabalho com novas ideias. A carreira iniciou em 2004, na Wannabe, onde orientava na imagem de modelos “new faces” da escola.

Em paralelo surgiu a oportunidade de trabalhar como coordenadora de maquiagem na São Paulo Fashion Week, pela M.A.C, onde trabalhou em 10 edições e aprendeu muitos truques de maquiagem com profissionais como Vanessa Rozan.

Em 2009 iniciou o atendimento para mulheres de várias idades e profissões com o objetivo de ampliar a cartela de atendimento, e uma cliente a surpreendeu! “Surgiu o desafio de atender uma deficiente visual, e tive a oportunidade de desenvolver uma nova maneira de realizar o trabalho de consultoria de imagem, pois tive que fazer várias adaptações para atendê-la e ainda fazer com que ela identificasse os resultados positivos”, disse Luana.

Luana revisou a abordagem de seu trabalho e disse ao CF que “depois desta consultoria pude concluir que o limite quem cria é você, por isso hoje trabalho sem limites para criar”.

O limite quem cria é você.

Luana Straccialini descobriu a consultoria de imagem e estilo como uma ferramenta de autoconhecimento, como um meio para a mulher conseguir se expressar através da roupa. Permanecendo o estilo pessoal e adaptando para as várias ocasiões, a consultora tira as nossas dúvidas. Confira a entrevista:

CF: Como as cores interferem no humor e na apresentação de cada mulher?

Luana Straccialini: Interferem muito! Cada cor transmite uma sensação, mas é diferente para quem veste a cor e para quem vê a cor. A que veste tem uma sensação única e bem subjetiva, já para quem olha a cor, há um significado, uma sensação percebida. Por exemplo: a percepção ao ver alguém vestida de azul marinho é a de uma pessoa mais clássica e tradicional, já para quem veste amarelo é de ser uma pessoa mais alegre e extrovertida, enquanto para quem veste rosa, há a percepção de uma mulher mais delicada e romântica.

Uma dica: é importante pontuar que para fazer uma leitura mais próxima do real temos que levar em consideração – além da cor – o tecido e o modelo.

CF: Quais são as dicas para um bom style nas diferentes ocasiões do dia a dia? Cada ocasião requer uma cor diferente?

Luana Straccialini: Cada pessoa tem um estilo de vida, isto quer dizer, uma rotina diferente da outra, e isso é bem pessoal. Difícil dar as dicas de style, o importante é termos consciência de qual mensagem desejamos transmitir no nosso dia a dia e buscar vestir esse look para conseguir se expressar através do que se está vestindo.

E a cor entra como meio de comunicação, como por exemplo, se desejar fazer com que as pessoas se aproximem de você, escolha cores claras, mas se desejar passar mais credibilidade e escolher quem vai se aproximar de você, então escolha cores escuras. Esta é uma das opções, não é a única, pois além das cores, também temos o tecido e o modelo que causam forte influência.

CF: A idade interfere na escolha das cores e das roupas?

Luana Straccialini: A idade é importante porque, conforme a mulher vai envelhecendo, o estilo dela vai amadurecendo. Mas o essencial é a sua personalidade e os seus valores, isso define mais que cor escolher e que tipo de roupa vestir.

CF: Adolescentes devem usar só cores vivas?

Luana Straccialini: Na minha opinião, o adolescente tem que se experimentar, sentir na pele o que é vestir todos os estilos para, depois que passar essa fase, ele conseguir escolher o que mais tem a ver com a sua personalidade e os seus valores.

CF: E mulheres – senhoras – devem evitar estampas coloridas e fortes?

Luana Straccialini: Eu particularmente não gosto de regras, se a senhora for alegre, extrovertida e despojada, como vou tirar as estampas e as cores fortes que transmitem exatamente quem ela é?

Não tem essa de senhoras não poderem usar estampas coloridas e fortes, o que se pode fazer com uma idade mais avançada é escolher um tecido ou um modelo mais interessante e elaborado.

CF: Em que ocasião o decote profundo pode ser usado? A transparência é para qualquer mulher?

Luana Straccialini: Pode usar decotes profundos em ocasiões mais despojadas, como festas de formaturas, baladas, dependendo do show também pode ser. No geral, em lugares onde não vão ter crianças e famílias. E a transparência é para qualquer mulher, mas cada mulher tem que saber em que parte do corpo usar, cada uma vai ter sua parte do corpo que é seu ponto forte – tem que descobrir qual é.

CF: Pode montar uma mandala de estilo para as nossas mulheres?

Luana Straccialini: Sim é possível montar uma mandala de estilo, porém precisamos descobrir quais estilos cada mulher tem em predominância para personalizar! Isso é possível através de testes ou de uma boa conversa do que gosta e do que não gosta.

Compartilhe

Tais Caldas

Sou Tais Caldas, idealizadora e facilitadora do Programa Círculo Feminino. Desenvolver grupos de mulheres interessadas em autoconhecimento, resgate de autoestima e redescoberta do prazer na vida. Possuo Capacitação em Saúde e Educação Sexual pela ABRASEX – Associação Brasileira dos Profissionais de Saúde, Educação e Terapia Sexual. Além disso, crio arte em aquarela e sou uma amante da aromaterapia, sendo esses meus hobbys. Formada em Relações Internacionais pela PUC-SP e pós-graduada pela Unesp. Atualmente estou em minha segunda graduação, em Psicologia.

Deixe uma resposta