Empoderamento feminino: encontre sua Força

Hoje eu vou falar com você sobre a força da mulher, de onde ela vem? O que é essa força? Ouvimos muito falar sobre o empoderamento feminino, sobre o quanto a mulher é forte, sobre mulheres guerreiras, sobre a valorização da mulher de forma geral. No entanto, essa força toda para fazer tudo, para dar conta da carreira, casa, família, estudos e cuidar de si, de onde ela vem? Qual é o combustível da mulher, aliás, existe apenas um combustível, um tipo de força?

A história e a ficção estão cheias de exemplos de mulheres. Temos muito presente em nosso dia a dia a ideia do “girl power”, temos ainda uma capacidade intelectual incrível, e não somente um QI, mas também o QE-Quociente emocional diferenciado. E, pesquisando a respeito dessa força, encontrei muitas coisas que fizeram um completo sentido pra mim.

Em minhas pesquisas descobri que toda essa capacidade feminina, essa força que nos impulsiona, esse combustível para seguir a diante, que nos faz levantar todas as manhãs e fazer mil coisas e permanecer de pé… pode ser ativada e potencializada de muitas formas, assim como vir das mais diversas fontes. Fica comigo que você vai entender…

Para você ter uma ideia, a história nos mostra essa força da mulher desde o início dos tempos, mulheres que eram à frente do seu tempo e faziam o inimaginável.

Para começar, somos Deusas! Sim, se somente a energia divina tem a capacidade de criar vida, lembro o óbvio: as mulheres têm o poder de gerar e carregar uma vida em seu ventre, e isso levou a mulher a ser associada desde o início dos tempos com a força da natureza e a ser envolta em mistérios.

Outras mulheres marcaram a história na idade média, sendo consideradas aquelas que mantinham uma relação muito próxima com os conhecimentos da natureza e os ciclos de vida-morte-vida, e justamente por isso muitas foram condenadas por feitiçaria.

Pesquisando, pude perceber que a ativação da força da mulher pode acontecer de muitas formas, sabe por quê? Cada pessoa tem seu modo de ser, tem sua personalidade, seu estilo, seu temperamento e tudo isso influencia na maneira como a própria força é ativada. Se você é mais introvertida, mais ligada em sua intelectualidade e em projetos individuais, é provável que não encontre sua força ao falar para uma multidão, por exemplo, mas essa pode ser a força para alguém que é extrovertida e mais focada em pessoas. E é exatamente sobre isso que vou falar com você agora. Sobre como encontrar a sua força!

 

Vou te falar 3 dicas sobre como encontrar sua força … e a terceira é a melhor de todas elas.

Existe uma frase famosa que diz: “Você nunca sabe a força que tem, até que a sua única alternativa seja ser forte”.

Muitas pessoas descobrem verdadeiramente sua força em momentos difíceis: Durante um luto, após um evento traumático, após o fim de um relacionamento, ao descobrirem uma doença grave, durante crises pessoais ou familiares…

O fato é que as circunstâncias acabam nos impulsionando… como naquela antiga história da vaquinha e do precipício, você conhece? É mais ou menos assim: havia um sábio que caminhava com seu jovem discípulo. Ao chegar em um sítio, eles viram uma família muito pobre, cujo único meio de sobrevivência era a venda do leite de sua única vaca. O mestre, então, pede a seu discípulo que leve a vaca até a beirada do precipício e a jogue.

O jovem fica contrariado com a ordem do mestre, afinal era por causa dela que a família estava sobrevivendo, mas cumpre o que o mestre havia pedido. Os anos depois, o jovem não esqueceu aquela família, quis voltar para contar a verdade e quem sabe ajudá-los. Ao chegar, viu o lugar transformado e a família muito bem. Perguntou o que havia acontecido e o homem explicou: “nós tínhamos apenas uma vaquinha e ela caiu no precipício e morreu, então descobrimos habilidades que nem sabíamos que tínhamos, começamos a fazer novas coisas e a vida melhorou.”

Muitas vezes acontece em nossa vida como nessa história. Parece que o chão é tirado de baixo dos nossos pés, ficamos sem perspectivas, sonhos e planos que tínhamos abortado, ficamos perdidas, sem objetivo, sem propósito. E agora? O que fazer sem aquilo que é a “nossa vaquinha”? É quando descobrimos nossa força, quando descobrimos o que já estava lá, mas nunca havíamos notado. E você, quais suas habilidades que ainda não se manifestaram? Vamos encontrá-las? Eu te ajudarei! Continue comigo.

 

CONHECE-TE A TI MESMA!

O autoconhecimento é importante para compreender de onde vem a sua força. Como falei antes, tem coisas que funcionam melhor para cada pessoa, dependendo muito da sua personalidade. Por falar nisso, 2 Psicólogas (mãe e filha!) criaram o famoso teste das 16 personalidades. Apesar de algumas controvérsias, ele é ainda amplamente utilizado por diferentes áreas, escolas, empresas e por profissionais de saúde. A boa notícia é que ele está disponível on-line! Se você ainda não fez, vale a pena conferir e descobrir qual é a sua. Cada uma delas tem sua “fonte” de poder, a sua força.

Por exemplo, vou contar um pouco sobre o meu tipo. Segundo o teste, sou Ativista, e olha que legal o comentário a respeito desse tipo: “Essas pessoas tendem a adotar grandes ideias e ações que refletem seu senso de esperança e boa vontade em relação aos outros.” Ou seja, esse é o tipo que acredita na máxima: “você pode mudar o mundo com apenas uma ideia”. Mas também tem os pontos fracos como dificuldade em manter o foco e ser altamente emocional”. E aí? Se identificou?

Conhecer sua personalidade, seu temperamento, sua essência, te ajuda a encontrar sua força, o autoconhecimento faz toda a diferença! Você pode buscar a ajuda de uma profissional, ler materiais sobre autoconhecimento e também seguir meu instagram (@circulo feminino) que está cheio de dicas e informações muito valiosas.

E sabe o que mais pode te ajudar a encontrar sua força?

 

REVEJA SEUS HÁBITOS:

Um jornalista investigativo do New York Times, chamado Charles Duhigg, realizou uma pesquisa sobre o “por que fazemos o que fazemos” que se transformou no famoso livro “O poder do Hábito”. Ele conta a história de uma mulher chamada Lisa que estava totalmente destruída após uma traição seguida de divórcio.

Ela sofria há mais de 20 anos de obesidade, fumava e bebia desde a adolescência, tinha muitas dívidas e nunca parava em um emprego. Muito para processar, não é mesmo? A vida parecia ter acabado para ela e, então, ao fazer uma viagem para o Egito, usando seu cartão de crédito, ela decidiu algo inesperado: iria participar de uma maratona! Uma que aconteceria ali mesmo no deserto do Cairo dentro de 11 meses. O fato de ter um objetivo lhe deu forças para parar de fumar e perder peso, ela perdeu mais de 27 quilos e participou da maratona.

A história de Lisa nos mostra que realmente nossa força pode vir dos mais diversos lugares e das mais diversas formas. Mas mostra também que reavaliar nossos hábitos pode mudar tudo; Lisa começou mudando apenas um: deixou de fumar para poder render mais nos treinos e então uma coisa levou à outra. O final da história é que ela perdeu peso, participou da maratona, desenvolveu uma dieta saudável, arrumou um emprego fixo e pagou as dívidas. Lisa encontrou sua força na mudança dos hábitos que eram destrutivos.

Me diga, quais hábitos são prejudiciais, tóxicos e sugam a sua energia?

Será que um novo hábito poderia ser sua força? A verdade sobre as situações inesperadas da vida é que elas nos fazem sair da zona de conforto, mas você também pode sair da sua zona de conforto por escolha, experimentando algo novo. Para Lisa foi a Maratona, para você pode ser aprender um instrumento musical, um “hobby”, escalar uma montanha, patinar, aprender a costurar ou escrever um livro, não há limites.

Segundo um dos pressupostos da Programação Neurolinguística (PNL) se um ser humano qualquer faz uma coisa, qualquer ser humano também pode fazer. É claro, para alguns o talento é inato, mas a ideia da PNL é válida sim, se alguém consegue cantar, por exemplo, eu também consigo, mesmo que me custe mais tempo para aprender e se no caso, houver algum limite físico ou ambiental, será descoberto através da experiência.

Houve um final de ano em que uma rede de tv fez uma campanha interessante, o slogan era “tente, invente, faça diferente” e os artistas apresentavam em alguns segundos alguma habilidade que era desconhecida do público, na época todos ficavam esperando o que seria revelado na próxima vez que passasse o comercial, qual habilidade diferente as pessoas tinham, e além disso, muitos foram impactados pela ideia de fazer algo novo também. Campanha interessante, motivacional, não é mesmo?

A verdade é que você pode descobrir forças que nem imaginava ao tentar fazer algo que nunca fez. Se você faz o que sempre fez, vai conseguir exatamente o que sempre conseguiu, logo… se você fizer algo diferente, obterá resultados diferentes! Parafraseando aquele slogan… “Tente, invente… faça sua vida diferente.”

Vale pensar e ressignificar! E por falar nisso… Agora, o pulo do gato… A última parte das 3 dicas que tenho para te falar sobre encontrar a sua força

 

MUDE SUA FORMA DE PENSAR.

Assim como você pensa, você é!  Outro dos pressupostos da PNL é que corpo e mente são partes do mesmo sistema, o que significa que nossos pensamentos tem o poder de afetar instantaneamente nossas sensações, nossa respiração e até mesmo a tensão muscular, e quando aprendemos a mudar um deles, conseguimos mudar o outro.

A questão do poder do pensamento está presente nas mais diversas culturas, filosofias de vida e religiões desde a antiguidade, você pode perceber em ditados como “ o corpo sofre quando a mente não está bem”, ou “você é o que pensa sobre si” e  “o coração alegre deixa o rosto mais bonito”. Nós somos um ser integral, um sistema perfeito e interligado e se nossa mente acredita, nosso corpo responde!

Escolha pensamentos que deem bons frutos, pense bem sobre você, não dê espaço para pensamentos que te desmotivam, desvalorizam, desacreditam. Escolha pensamentos positivos a seu respeito. Não é à toa que hoje em dia existem tantos livros e palestras abordando mudança de mentalidade! O tal o Mindset.

Você conhece a palavra grega Metanóia? Significa “mudança essencial de pensamento ou caráter”, como deixar de acreditar em algum pensamento para vivenciar um novo modo de enxergar a mesma situação. Simplificando mais ainda seria “mudar de ideia” ou “mudar sua mente” e também pode significar uma mudança espiritual e realmente pensar bem sobre si é uma questão de acreditar em todo seu potencial que já está aí dentro de você e quem sabe você apenas não tenha notado.

Outra palavra do momento que trata desse assunto é “mindset” que também tem a ver com a configuração da nossa mente, sobre como você vê as coisas e isso inclui como você se vê. Segundo o conceito de Mindset, a maneira que você enxerga as coisas pode determinar se você vai ter êxito ou não.

A Psicóloga Carol S. Dweck, especialista em psicologia social e psicologia do desenvolvimento, comenta em seu famoso livro “Mindset: A nova psicologia do sucesso” que sucesso não está apenas vinculado a um talento ou habilidade especial, mas está conectado principalmente ao resultado da maneira como encaramos a vida. Portanto, mais uma vez eu te digo: Pense bem sobre si mesma. Valorize-se, mulher!

SE FOR MUITO DIFÍCIL FAZER ISSO POR SI SÓ, AQUI EU DEIXO ALGUMAS DICAS ESPECIAIS PARA “REPROGRAMAR”:

  1. Ande com pessoas que te motivem (essa caminhada pode também ser virtual). Fique longe de pessoas banais, invejosas, pessimistas, derrotistas e sem planos de futuro. Alie-se a quem te puxa para cima, não a quem vive se lamentando.
  2. Escreva suas conquistas anteriores (em momentos difícil, reler vai te ajudar a lembrar do seu potencial). Você tem uma história e essa história tem pontos de êxito que devem ser sempre realçados e servir como “catapulta” para novos vôos.
  3. Ao pensar algo ruim sobre si, reprograme-se imediatamente com um pensamento bom a seu respeito; ajuda muito você pensar: “eu posso”, “eu sou capaz”!  Veja que não se trata de autoengano! Todos podemos alcançar nossos objetivos! Mas lembre-se: primeiro é definir seu objetivo. Você já definiu o seu? Se não, mãos à obra!
  4. Em meio às turbulências, encontre um motivo para ficar alegre, ou seja, foque em algo positivo. Lembre-se da história da vaquinha e de que Deus fecha uma porta e abre duas. Nada acontece por acaso e às vezes é preciso dar um passo atrás para prosseguir firme na caminhada!
  5. Use o sorriso como arma todas as vezes em que perceber que um pensamento seu tem feito você se sentir mal. O simples fato de sorrir confunde seu sistema neurológico te ajudando a desfocar da dor ou sofrimento.
  6. Respire fundo, preste atenção na sua respiração! Você conhece o exercício da flor e da vela? É simples, você diz: “cheire a flor (inspira) e sopre a vela (expira)”. Também ajuda bastante!
  7. Faça planos e tenha objetivos concretos: Não precisa ser uma maratona ou escalar o Everest, mas planeje algo que acrescente em sua vida, que mude seu patamar, que a deixe feliz, porque você merece ser feliz. E confie no seu potencial!
  8. Dê limites para as pessoas, saiba dizer não para o que te faz mal, isso mostra que você se valoriza, valoriza seu espaço e respeita seu próprio tempo. Há muitas formas de falar não educadamente. Algumas são: lamento… infelizmente … não é possível… agora não tem como… isso já foi resolvido …quem sabe futuramente… no momento é inviável… E por aí vai!
  9. Por falar em tempo, reserve tempo para você na sua agenda (literalmente! Agende uma hora se necessário). Acredite que cuidar de si não é egoísmo, é um meio de se fortalecer. Pense mais em você e menos nos outros! Pense também nos outros, claro!! Mas não se anule, não se torne coadjuvante, seja a personagem principal em sua vida!!
  10. Lembra aquela história que o mundo foi feito em 7 dias, só que no sétimo houve descanso, soneca, hidratação de cabelo, e um papo com as amigas.
  11. Como já falei em outro vídeo, faça uma lista de suas qualidades! Elas existem sim!  é um bom ponto inicial  na jornada para se conhecer e, principalmente, para mudar o pensamento a seu respeito e poder encontrar verdadeiramente a sua força! Ela está em você, sempre esteve!

 

VOCÊ É MAIS FORTE DO QUE IMAGINA, MAIS CAPAZ DO QUE ACREDITA, MAIS PODEROSA DO QUE TEM NOÇÃO.

No caso das mulheres, nosso empoderamento é tão-somente uma questão de descoberta, uma consciência coletiva, o aflorar de uma força que, como vimos nas mais diversas histórias mencionadas aqui, sempre esteve dentro de nós e apenas precisamos descobrir de onde vem para potencializá-la e, assim, conquistar nosso espaço.

Pense de onde vem sua força para fazer tudo o que você faz, toda essa capacidade de fazer mil coisas, essa capacidade intelectual, capacidade emocional, essas forças que toda mulher tem alinhadas ou desalinhadas, rs

Algumas mulheres conseguem ativar sua própria força usando a oração, a conexão com o divino, outras a conexão com a natureza.

Há mulheres que ativam sua força fortalecendo o próprio corpo, fazendo musculação ou alguma atividade física, praticando esportes.  Em outras, uma produção intelectual é o que ativa sua força, escrevendo um livro, um artigo acadêmico.

Existem também as mulheres realizadoras, as que criam ONGs, empresas, fazem a diferença no mundo de alguma forma e assim sua força é ativada.

Algumas mulheres também encontram sua força nesse poder transgressor da mulher, que seria algo como “ir contra o sistema” ou se conectar com essa mulher selvagem dentro de si.

Também há mulheres que encontram sua força respeitando o ciclo orgânico de seu próprio corpo, sendo mãe ou formando uma família. A força pode vir ainda de se valorizar, de gostar de si, respeitar seu tempo e dar limites para as pessoas.

Lembre-se também que ter força não é ser agressiva, cada mulher vai se utilizar de um instrumento diferente para se fortalecer, o importante é que você encontre aquela essência que te conecta com o que é verdadeiramente autêntico dentro de você, algo que só você pode dar para o mundo.

Quando a mulher se conecta com o feminino, quando ela se conscientiza de seu valor e de seus poderes e possibilidades, ela abre um fluxo maravilhoso, como a abertura das comportas de uma represa, fluindo águas poderosas que serão direcionadas para onde você quer realizar a mudança, seja na sua vida, no ambiente onde você vive ou no mundo.

VALORIZE-SE, MULHER, CONHEÇA SUAS FORÇAS!

 

REFERÊNCIAS:

Duhigg, Charles. O poder do Hábito. Editora Objetiva

Osório, Andrea. Bruxas Modernas: um estudo sobre identidade feminina entre praticantes de wicca. Revista da Universidade Federal do Paraná. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/campos/article/download/1625/1367

A Parábola da vaquinha e do precipício Disponível em: https://www.pensador.com/frase/MTQyNzE4MA/#:~:text=%E2%80%93%20Aprendiz%2C%20pegue%20a%20vaquinha%2C,abaixo%20e%20a%20viu%20morrer.

Sanchéz, Edith. Los 8 tipos de personalidad según Carl Jung. Disponível em: https://lamenteesmaravillosa.com/los-8-tipos-de-personalidad-segun-carl-jung/

Raymond B. Cattell, Maurice Tatsuoka e Herbert Eber. Teste 16 personalities. Disponível em: https://www.16personalities.com/br/teste-de-personalidade

Joseph O’Connor, John Seymour. Pressupostos da PNL. Disponível em: https://golfinho.com.br/artigo/pressupostos-da-pnl.htm

Instituto Brasileiro de Coaching. Saiba o que é Mindset. Disponível em: https://www.ibccoaching.com.br/portal/saiba-o-que-e-mindset/

Restelli, Regina. 4 exercícios para mudar pensamentos e comportamentos repetitivos.  Disponível em: https://www.personare.com.br/4-exercicios-para-mudar-pensamentos-e-comportamentos-repetitivos-2-m7180 

Compartilhe

Tais Caldas

Sou Tais Caldas, idealizadora e facilitadora do Programa Círculo Feminino. Desenvolver grupos de mulheres interessadas em autoconhecimento, resgate de autoestima e redescoberta do prazer na vida. Possuo Capacitação em Saúde e Educação Sexual pela ABRASEX – Associação Brasileira dos Profissionais de Saúde, Educação e Terapia Sexual. Além disso, crio arte em aquarela e sou uma amante da aromaterapia, sendo esses meus hobbys. Formada em Relações Internacionais pela PUC-SP e pós-graduada pela Unesp. Atualmente estou em minha segunda graduação, em Psicologia.

Deixe uma resposta