O Tantra para mulheres: a transformação do corpo e da sexualidade.

A técnica de origem indiana busca expandir a sensibilidade por meio da bioenergia do corpo.

Uma de minhas capacitações é em terapia tântrica. A outra é no tema Sexualidade. Atualmente ela é membro da Associação Brasileira dos Profissionais de Saúde, Educação e Terapia Sexual (ABRASEX). De minha experiência, do que já presenciei com amigas e do que testemunhei com o trabalho desenvolvido por meu companheiro – há mais de dez anos, o tantra para mulheres traz um resultado excepcional se comparado as outras técnicas mais tradicionais e habitualmente usadas para tratar diversas disfunções femininas. Isso porquê o corpo é sábio e as células possuem memória!

Por isso, ao passar por uma sessão ou várias de terapia tântrica, a mulher se renova, conhece o seu potencial orgástico e desmistifica padrões estabelecidos por outros. Padrões estes colocados pela família, religião, ou pelo contexto sócio-cultural. E ao desmistificar, ela passa a se enxergar como uma mulher poderosa, pois tem consciência de seu potencial. Ela sabe o que realmente existe dentro de si e, assim, essa mulher tem a capacidade de se sentir plena.

O QUE É TERAPIA TÂNTRICA?

A terapia tântrica são sessões da massagem tântrica. Uma técnica baseada no tantra – antigo conjunto de práticas e ensinamentos surgido na Índia – que busca expandir a sensibilidade por meio da bioenergia do corpo, com diferentes aplicações terapêuticas.

Por volta dos anos 60, no Ocidente, surgiu um movimento chamado Neotantra – ligado à Nova Era e tido como uma popularização dos ensinamentos tântricos. Atualmente, existem novos movimentos terapêuticos de vanguarda como a Bioenergética, a Primal, a Pulsation, o Rebirthing, e as meditações do mestre indiano Osho – visto hoje no modo de vida Ocidental.

PARA QUE SERVE O TANTRA?

Vamos chegar a conclusão juntas. Perceba que as principais queixas das mulheres atualmente são:

  • Não ter orgasmo;

  • Sofrer de incontinência urinária;

  • E, às vezes, vivendo as duas situações!

Primeiro quero dizer que com base em relatos e conversas, muitas mulheres estão nessa mesma situação. Para os dois casos colocados acima, há exercícios pélvicos simples que podem ser feitos que, ao tonificar os músculos da região pélvica, melhoram muito esses dois problemas.

Sabemos que os profissionais de pompoarismo e de fisioterapia recomendam o uso de alguns instrumentos como cones, pesinho e bolinhas tailandesas. Mas, ressalto, eu não sou fisioterapeuta nem ensino pompoarismo. Procurem bons profissionais, não façam nada sozinhas se baseando em vídeos na internet – isso pode causar lesões sérias.

Agora, há dois jeitos bem gostosos de tonificar a região pélvica: 1- fazendo exercícios como caminhada diária, a elevação ou ponte, o abdominal, o yoga e o pilates. 2- e esse eu diria que é um dos jeitos mais gostosos… ter orgasmo, pois no orgasmo todos os músculos da região se contraem.

– Mas, e se eu não tenho? Não acesso? É anormal?

Saiba que 90% dos casos é falta de técnica e conhecimento seu de seu próprio corpo ou falta de conhecimento da parceria em relação a você. Então, a indicação para resolver um ou outro – ou os dois problemas – será ter mais orgasmos ou sozinha, ou na interação com parceiro. E aqui um bom vibrador – bullet ou sugador clitoriano – pode ajudar muito a estimular a contratação da região. Se quiserem indicações de bons instrumentos, só entrar em contato através do e-mail: taiscaldas@circulofeminino.com.br

Agora, há ainda a terceira solução: fazer algumas sessões de terapia tântrica – um tratamento natural, sem medicamentos, cuja consequência dele é ter prazer. E para quem estiver a procura de bons profissionais, só entrar em contato. Afinal, estamos aqui neste rede de mulheres para nos ajudarmos!

Compartilhe

Tais Caldas

Sou Tais Caldas, idealizadora e facilitadora do Programa Círculo Feminino. Desenvolver grupos de mulheres interessadas em autoconhecimento, resgate de autoestima e redescoberta do prazer na vida. Possuo Capacitação em Saúde e Educação Sexual pela ABRASEX – Associação Brasileira dos Profissionais de Saúde, Educação e Terapia Sexual. Além disso, crio arte em aquarela e sou uma amante da aromaterapia, sendo esses meus hobbys. Formada em Relações Internacionais pela PUC-SP e pós-graduada pela Unesp. Atualmente estou em minha segunda graduação, em Psicologia.

Deixe uma resposta